top of page
  • Foto do escritorFisio Buco

Dor orofacial

”A dor é sempre um experiência pessoal, que é influenciada em graus variáveis, por fatores biológicos, psicológicos e sociais”. E, o relato de uma pessoa sobre uma experiência de dor deve ser respeitado. IASP


A dor orofacial é toda dor relacionada aos tecidos moles e mineralizados (pele, vasos sanguíneos, ossos, dentes, glândulas, músculos, fáscia, nervos) da cavidade oral e da face. A dor orofacial inclui a DTM (disfunção temporomandibular, cefaleia e neuralgias) e pode ter repercussão na cervical.


A dor pode ser localizada ou referida (distante do local avaliado). Geralmente, na dor orofacial há fatores psicossomáticos envolvidos.


A dor quando não é tratada pode cronificar, ou seja se tornar uma dor crônica e levar o paciente ao ciclo da dor crônica, caracterizado por: ansiedade/depressão → pela ausência de solução → que gera angústia → mais dor → que implica em limitação laboral (trabalho) e nas atividades de vida diária → e leva ao isolamento social.


O diagnóstico e tratamento muitas vezes requer a atuação de uma equipe multidisciplinar composta por dentista, neurologista, psiquiatra, psicólogo, FISIOTERAPEUTA, nutricionista e fonoadiólogo.


A dor orofacial tem tratamento.


O tratamento fisioterapêutico tem por objetivo diminuir a dor, promover o relaxamento muscular e melhorar a qualidade de vida do paciente.


Fonte: IASP e aula da Prof. Dra. @fisio_anacarolina.valente fisio_anacarolina.valente


Dra. Débora Fogaça

Fisioterapia Bucomaxilofacial

@fisioterapiabuco


| Tem alguma dúvida?

| entre em contato pelowhatsapp




Comments


bottom of page